Entenda a história por trás da proibição da cannabis no Brasil. – FAVO TECNOLOGIA DE HORTAS AUTOMATIZADAS LTDA.

Entenda a história por trás da proibição da cannabis no Brasil.

No início da colonização do Brasil, cultivar cannabis chegou a ser uma prática incentivada pela Coroa Portuguesa, que via um grande potencial comercial de cânhamo. Ao passar dos anos, a cannabis começou a ser utilizada como substância psicoativa passou a se disseminar entre pessoas escravizadas e indígenas, já no final do século 19, seu uso passou a ser recomendado por médicos.

Mas os olhares positivos para a planta não duraram muito tempo e foi ainda no mesmo século, em outubro de 1830, que a Câmara Municipal do Rio de Janeiro aprovou a “Lei do Pito do Pango”, estabelecendo três dias de cadeia aos “escravos e outras pessoas” que fumassem cannabis..

Já no século 20, o psiquiatra sergipano Rodrigues Dória publicou artigos na imprensa e até mesmo um livro, associando o uso da planta a uma suposta degeneração moral e consolidando na sociedade brasileira a imagem negativa sobre a cannabis e seus usuários.

Em 1930, altamente influenciados pelos Estados Unidos, o Brasil começou a reprimir o uso e a associar a planta ao preconceito racial. Assim, o consumo de cannabis se tornou uma forma de criminalizar a população negra. 

Já nas últimas décadas, a cannabis apresentou uma nova virada de jogo, principalmente em relação ao uso medicinal. Os Estados Unidos, pioneiros na proibição e um dos grandes responsáveis pela criminalização da planta, liberou o uso medicinal em 38 estados, cerca de 76% dos estados americanos.

No Brasil, desde 2015, tramita na Câmara Federal o Projeto de Lei 399, que viria para legalizar o uso medicinal. O texto vem sendo discutido em uma Comissão Especial criada para debater o assunto. 

Por hora, vamos acompanhando e trabalhando para transmitir para vocês a evolução das regulamentações brasileiras e lutarmos pelos direitos básicos, dentre eles, o direito de ter uma melhor qualidade de vida.