Artigo: Por que as pimentas ardem?

Aquela sensação boa que as pimentas nos proporcionam vem do componente químico Capsaicina (8-metil-N-vanilil-trans-6-nonamida), mais presente nos frutos e nas sementes da espécie. É uma substância irritante para os mamíferos e produz uma sensação de queimadura em qualquer tecido que entre em contato.

Fórmula Capsaicina

Pode parecer estranho que uma planta gaste tanta energia para produzir frutos grandes e suculentos cheios de uma substância irritante. Acontece que, apesar de ser irritante para mamíferos, a Capsaicina age como analgésico nos pássaros, que são os maiores dispersores de sementes da espécie. A quantidade dessa substância nas variedades determina então sua pungência, ou ardência.

Escala de Scoville

Em 1912, o farmacêutico Wilbur Scoville desenvolveu o método para medir o grau de ardência de cada variedade de Capsicum. O método de Scoville consiste na diluição do extrato da pimenta a ser testada numa solução de água e glicose (açúcar), até que a ardência não seja mais perceptível pelo paladar dos participantes no teste. Portanto, a escala de Scoville baseia-se na utilização de pessoas para classificação das pimentas, tornando-o um método impreciso, pois existe variabilidade na sensibilidade de cada pessoa para com a capsaicina.

Tabela Periódica Scoville (clique para aumentar)

Não parece muito científico, é verdade! Por isso, atualmente, outros processos são utilizados para melhorar essa precisão. Isso é feito pela análise de DNA da variedade e também utilizando o método de cromatografia HPLC (High Performance Liquid Chromatography). Apesar desses métodos mais avançados, seus resultados usualmente são convertidos para a Unidade de Calor Scoville (SHU em inglês) para melhor compreensão de todos, e podemos dizer também como homenagem ao paladar corajoso daqueles que participaram deste método.

A pimenta mais forte do mundo

Em 2013, o Guinness, instituição que registra recordes mundiais, confirmou a famigerada Carolina Reaper (Ceifeira da Carolina) com 1.569.300 SHU, como a pimenta mais ardida do mundo, tirando do trono a australiana Trinidad Scorpion “Butch T” que estava “no poder” desde Março de 2011. A Carolina Reaper da variedade chinense foi criada por Ed Currie da empresa PuckerButt Pepper Company , fruto do cruzamento entre a Habanero e a Naga Bhut Jolokia.

A picância das campeãs mundiais pode transformar uma brincadeira de internet em uma experiência traumática como no vídeo abaixo (por favor não tente isso em casa!). Por fim, não podemos nos esquecer do sabor que as pimentas podem trazer para os nossos pratos, e da elegância que essa planta pode trazer para sua horta ou jardim. Tabasco, Jalapeño, Dedo de Moça, Caiena… Quem não gosta de pimenta?

Referências

Oliver Batista

Oliver Batista

Diretor de Produção e Tecnologia em Favo
Graduado em Ciência da Computação, experiência em desenvolvimento de sistemas embarcados, mobile, web e protocolos de comunicação para Internet das coisas. Busca sempre a inovação via quebra de paradigmas para construção de soluções ótimas para todos envolvidos.
Oliver Batista

Últimos posts por Oliver Batista (exibir todos)

Compartilhe isso:
Posted in Artigos and tagged , , .

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *